Esportes

Após sofrer gol relâmpago e perder pênalti, Atlético marca no fim e vence Chape de virada

Em um jogo com várias situações, os reservas do Atlético conquistaram um importante resultado fora de casa no Campeonato Brasileiro. Após levar o gol da Chapecoense com 20 segundos e perder um pênalti na etapa final, o time alvinegro conseguiu chegar ao empate e virou o placar nos últimos minutos de jogo vencendo por 2 a 1, neste domingo, na Arena Condá, pela 10ª rodada.

Everaldo abriu o placar para a Chape de cabeça após cruzamento da direita. Foi o gol mais rápido do Brasileirão 2019. O Atlético teve a chance de empatar o jogo aos 26 minutos do segundo tempo em uma cobrança de pênalti assinalada pelo VAR, mas Ricardo Oliveira desperdiçou ao chutar no canto e o goleiro Tiepo pegar.

Mas oito minutos depois, o zagueiro Iago Maidana foi ao ataque e balançou as redes empatando para o Atlético. Otero bateu falta, o goleiro não segurou firme e o defensor alvinegro completou para o fundo do gol.

Aos 54 minutos, Vinícius fez uma boa jogada individual e marcou o gol da virada atleticana em Chapecó.

Com o resultado, o Atlético pulou para a quarta colocação, com 19 pontos. Já a Chapecoense se manteve na zona de rebaixamento, em 18º lugar, com oito.

A vitória de virada dá moral para o Atlético na Copa do Brasil. Após perder por 3 a 0 no Mineirão, no primeiro jogo das quartas de final, o time alvinegro precisa reverter a vantagem do Cruzeiro no duelo de volta na próxima quarta-feira, às 19h15, no Independência. Para ficar com a vaga, o Galo tem que vencer por quatro gols de diferença. Se ganhar por três de vantagem, leva a decisão para os pênaltis.

O jogo

Com o foco voltado para a Copa do Brasil, o Atlético, por decisão do técnico Rodrigo Santana, atuou com os reservas no interior catarinense. E a Chapecoense teve o melhor início de jogo possível. Logo no primeiro ataque, Eduardo avançou pelas direita e fez cruzamento preciso para Everaldo cabecear para as redes, livre de marcação e sem chance de defesa para Cleiton, fazendo 1 a 0 aos 20 segundos. A vantagem precoce pareceu abalar o Atlético, já pressionado pela derrota no meio de semana pela Copa do Brasil, e empolgar a Chapecoense, que quase ampliou na sequência com Camilo, em cobrança de falta.

O Atlético demorou a se ajustar em campo, algo que só foi acontecer após os dez minutos iniciais. A partir daí, o time teve posse de bolsa no campo de ataque, embora nem sempre conseguisse transformá-la em chances de gol, pois lhe faltava repertório diante da retranca adversária. A maioria das oportunidades envolvia Otero, em cobranças de falta e de escanteio, sendo que em uma dessas Ricardo Oliveira perdeu oportunidade clara. Já em lances pelo meio, Vinicius também poderia ter marcado, mas falhou. Assim, o primeiro tempo terminou com a Chapecoense em vantagem.

A etapa final foi ainda mais movimentada. O Atlético impôs pressão nos minutos iniciais e chegou a até acertar o travessão em cabeceio de Maidana após cobrança de escanteio de Otero. Mas ao contrário da etapa final, a Chapecoense era mais efetiva em contra-ataques, tornando o confronto emocionante e com várias chances de gol.

A melhor oportunidade para o Atlético empatar o duelo veio aos 26 minutos, quando a arbitragem marcou pênalti, após consulta ao VAR, numa jogada em que a bola tocou no braço de Douglas. Mass o goleiro Tiepo salvou a Chapecoense ao defender a cobrança de Ricardo Oliveira, que completou o 11º jogo sem marcar pelo time.

Mas o erro de Ricardo Oliveira não desanimou o Atlético, tanto que o time se manteve no ataque e conseguiu arrancar o empate em mais uma jogada iniciada por Otero. O venezuelano cobrou falta, Tiepo espalmou, Maicon Bolt pegou o rebote e cruzou para Maidana empurrar às redes, fazendo 1 a 1 aos 34 minutos.

Foi só a partir daí que a Chapecoense buscou ser mais ofensiva. E teve duas boas chances para conquistar a vitória, com Augusto, que parou em Cleiton, e Diego Torres. Mas não conseguiu e ainda foi vazado. Aos 54 minutos, Ricardo Oliveira protegeu a bola para Vinicius, que driblou seu marcador e finalizou às redes, definindo o triunfo atleticano.

Chapecoense 1 x 2 Atlético

Chapecoense: Tiepo; Eduardo, Gum, Douglas e Bruno Pacheco; Márcio Araujo, Campanharo (Aylon) e Camilo (Augusto); Arthur Gomes, Alan Ruschel (Diego Torres) e Everaldo. Técnico: Ney Franco

Atlético: Cleiton; Guga, Maidana, Léo Silva e Lucas Hernández; Ramón Martínez (Papagaio), Jair, Vinícius, Otero (Bruninho) e Geuvânio (Maicon Bolt); Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana

Motivo: 10ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 14 de julho de 2019, domingo, às 19h
Local: Arena Condá, em Chapecó (SC)

Gols: Everaldo (20 segundos/1º), Maidana (34’/2º), Vinícius (54’/2º)

Cartão Amarelo: Leonardo Silva, Vinicius, Lucas Hernández, Maidana, Maicon Bolt (Atlético); Alan Ruschel, Douglas, Eduardo (Chapecoense)

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB)
Auxiliares: Alex Ang Ribeiro (SP) e Bruno Salgado Rizo (SP)
VAR: Marcio Henrique de Gois (SP)

Público: 2.600
Renda: R$ 48.000,00

Fonte: Itatiaia www.itatiaia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close