Esportes

Com golaço no fim, Atlético vence Vasco e quebra tabu de 17 anos em São Januário

Pela primeira vez no Campeonato Brasileiro por pontos corridos o Atlético venceu o Vasco no estádio São Januário, no Rio de Janeiro. Com um golaço de Chará no fim da partida, o Galo bateu os cariocas por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, pela segunda rodada da competição, e quebrou um tabu de 17 anos sem conseguir ganhar do time cruzmaltino como visitante.

O jogo não foi dos melhores e teve poucos momentos de emoção. Após um primeiro tempo muito ruim das duas equipes, o Atlético abriu o placar aos 13 minutos da etapa final com Elias em uma bomba de fora da área. O volante aproveitou o vacilo do goleiro Alexander, que rebateu mal, e acertou um belo chute no cantinho.

No entanto, a comemoração do Galo durou apenas sete minutos, quando Maxi López empatou para o Vasco em uma bobeira da defesa atleticana. Após chute de Pikachu, a bola desviou na marcação e sobrou limpa na área para o argentino, que bateu no canto de Victor. A zaga alvinegra estava em linha, mas Fábio Santos dava condição ao atacante vascaíno.

A partida caminhava mesmo para o empate, mas, aos 44 minutos, Chará pegou a bola no bico da grande área e acertou no ângulo um belo chute cruzado garantiu os três pontos para o Atlético.

Foi a primeira vitória do Atlético sobre o Vasco em São Januário na era dos pontos corridos. A última vitória dos mineiros aconteceu em 2002, quando Kim e Mancini marcaram os gols do triunfo por 2 a 1, pelo Brasileirão. Na época, foi o último campeonato disputado no sistema de fase de classificação em turno único e os oito melhores avançando às quartas de final. De 2003 a 2018, foram dez jogos com seis derrotas e quatro empates.

O Atlético volta a campo no próximo sábado, às 21h, para enfrentar o Ceará, no Castelão, em Fortaleza, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. No mesmo dia, às 19h, o Vasco pega o Corinthians, na Arena Amazônia.

O jogo

O Vasco tentou controlar mais a partida no início, aproveitando o mando de campo. Com Pikachu pela esquerda e Maxi López de volta ao comando de ataque, a equipe comandada por Marcos Valadares apostou nas bolas aéreas. Apesar da estatura do argentino, os mandantes não conseguiram levar perigo à meta defendida por Victor e sofreram com a falta de repertório ofensivo.

A criatividade também fez falta ao Atlético. Com Luan mal pela faixa central do meio-campo, o time mineiro não ameaçou a baliza de Alexander, que substituiu o titular Fernando Miguel, machucado. Ainda assim, os visitantes equilibraram a partida, nivelada por baixo.

Durante todo o primeiro tempo, nenhuma chance clara de gol foi criada, exceto por chute de Yan Sasse de esquerda, em sobra de escanteio, aos 27 minutos. Espelhadas taticamente com a formação 4-2-3-1, os vice-campeões de seus estados se anularam, protagonizando jogo fraquíssimo até o intervalo.

Na volta para a etapa complementar, Rodrigo Santana sacou Luan para a entrada de Maicon Bolt.

Os times voltaram para o segundo tempo um pouco mais dispostos. Já no primeiro minuto, o Atlético assustou, ainda que aos trancos e barrancos: após cobrança de escanteio pela esquerda, Igor Rabello dividiu com Alexander e a bola saiu perto da trave direita do arqueiro vascaíno.

Logo após, anfitriões e visitantes arriscaram finalizações de longe, mas sem pontaria. O jogo continuou com baixo nível técnico, mas o ritmo melhorou, com mais velocidade de parte à parte. Principalmente do lado do Atlético, que tinha intensa movimentação no setor ofensivo com o trio formado por Bolt, Chará e Geuvânio logo atrás de Ricardo Oliveira.

Aos 13 minutos, a equipe mineira foi recompensada. Após cruzamento, a defesa vascaína rebateu e a bola sobrou para Elias que também arriscou chute de longa distância. O volante, porém, foi muito mais competente: de primeira, ele pegou na veia, de direita, e mandou à esquerda de Alexander, que não teve chances.

Após inaugurar o marcador, o Atlético se impôs. O Vasco sentiu o gol e teve ainda mais dificuldades para marcar o rápido e fluido ataque atleticano. Aos 17, outra trama ofensiva perigosa dos visitantes: Geuvânio fez boa jogada individual pela direita e passou para Ricardo Oliveira, que invadiu a área pela direita e bateu cruzado para boa defesa de Alexander.

Nos minutos seguintes, o Vasco se recuperou do golpe e fechou a entrada da área. O custo foi a entrega da posse de bola para o adversário, que passou a controlar o jogo com mais facilidade.

Entretanto, no momento em que o Atlético tinha tudo para encaminhar a vitória com tranquilidade, sua defesa cochilou e permitiu o empate dos donos da casa. Aos 20, Pikachu chutou da entrada da área, a bola foi desviada e sobrou para Maxi López, livre na grande área, igualar o placar, chutando de esquerda, fora do alcance de Victor. O miolo de zaga atleticano cochilou e deixou o argentino desmarcado. Erro crasso.

Com o empate, o Vasco se animou e quase conseguiu a virada. Aos 23, Henrique foi lançado pela esquerda e bateu para grande defesa de Victor. No rebote, Maxi López foi providencialmente interceptado por Igor Rabello, que evitou o 2 a 1 vascaíno.

Na segunda metade da etapa final, o Vasco controlava o jogo. Embalado pelo empate e pelas chances criadas logo após, o time da casa passava a bola com rapidez e dava trabalho à defesa adversária, exigida pela primeira vez na partida em São Januário.

Na parte final do confronto, o Atlético equilibrou as ações, arrefecendo a pressão vascaína e voltando a criar oportunidades. Aos 38, Nathan, que entrara três minutos antes na vaga de Geuvânio, chutou da entrada da área para boa defesa de Alexander.

A recuperação dos visitantes foi coroada no último minuto do tempo regulamentar, Chará recebeu de Guga pela intermediária direita, driblou Valdivia e bateu colocado de canhota, sem chances para Alexander. Golaço do colombiano, decisivo para a vitória atleticana. Nos acréscimos, o Vasco até tentou ir para o ‘abafa’ em busca do empate, mas em vão. Placar final, 2 a 1 para o Atlético.

Vasco 1 x 2 Atlético

Vasco: Alexander; Cláudio Winck, Werley, Ricardo e Henrique; Fellipe Bastos (Andrey), Lucas Mineiro, Yago Pikachu (Rossi) e Yan Sasse; Marrony (Valdívia) e Maxi López. Técnico: Marcos Valadares

Atlético: Victor; Guga, Réver, Igor Rabello e Fábio Santos; Zé Welison (Jair), Elias, Geuvânio (Nathan), Luan (Maicon Bolt) e Chará; Ricardo Oliveira. Técnico: Rodrigo Santana

Motivo: 2ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data: 1º de maio de 2019, quarta-feira, às 21h30
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)

Gols: Elias (13’/2º), Maxi López (20’/2º), Chará (44’/2º)

Cartão Amarelo: Não houve

Árbitro: Raphael Claus (SP)
Auxiliares: Danilo Ricardo Simon Manis (SP) e Daniel Luís Marques (SP)
VAR: Thiago Duarte Peixoto (SP)

Fonte: Itatiaia www.itatiaia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close