Esportes

VAR volta a atuar, mas Atlético atropela Boa no Mineirão e avança à final para enfrentar Cruzeiro

Diante de quase 45 mil torcedores no Mineirão, o Atlético repetiu o placar da fase de classificação do Campeonato Mineiro e goleou o Boa Esporte por 5 a 0, neste domingo, e avançou para a final do Estadual pela 13ª vez consecutiva para encarar o arquirrival Cruzeiro, que eliminou o América na outra semifinal. Luan, Elias, Victor (contra), Geuvânio e Vinicius marcaram os gols da vitória alvinegra.

Assim como no duelo de ida, que terminou empatado em 0 a 0 em Varginha, quando o árbitro de vídeo (VAR) foi bastante acionado e anulou dois gols do Atlético, a tecnologia voltou a atuar neste domingo, no Mineirão.

Primeiro, o VAR anulou o primeiro gol anotado por Luan, aos 18 minutos da etapa inicial. Seis minutos depois, o Menino Maluquinho balançou as redes novamente. O árbitro de vídeo entrou em ação mais uma vez, porém validou o lance e o Galo enfim abriu o placar no confronto. No quinto gol do Atlético, a tecnologia também interferiu na decisão da arbitragem. Após Vinicius marcar, o auxiliar invalidou o lance alegando impedimento, mas depois da revisão do VAR o gol foi marcado.

Agora, teremos o superclássico na final do Mineiro. O primeiro duelo está marcado para o próximo domingo, às 16h, no Mineirão. O mando será do Cruzeiro. Como fez a melhor campanha da primeira fase, o Atlético joga por dois resultados iguais (dois empates ou uma vitória e uma derrota pela mesma diferença de gols) para ser o campeão.

Mas antes do primeiro jogo da final do Estadual, o Atlético volta a pensar na sobrevivência na Copa Libertadores. Na próxima quarta-feira, o time alvinegro vai até o Paraguai para enfrentar o Cerro Porteño, às 19h15 (de Brasília), pela quarta rodada do Grupo E. Em terceiro lugar na chave, com três pontos, o Galo precisa vencer os donos da casa, que lideram o grupo, para continuar sonhando com uma vaga nas oitavas de final.

O jogo

O Atlético balançou as redes aos 18 minutos do primeiro tempo, mas o VAR anulou. Após cobrança de escanteio, Igor Rabello subiu, mas a bola passou direto e Luan, debaixo da segunda trave, só escorou para o gol. Depois de quatro minutos de análise, o lance foi invalidado por falta do zagueiro atleticano no marcador antes da conclusão do camisa 27. Era o terceiro gol anulado do Atlético nos dois jogos contra o Boa pelas semifinais do Mineiro.

Aos 24, Luan voltou a balançar as redes. No entanto, o VAR entrou em ação novamente. Após bola alçada na área, Ricardo Oliveira subiu de cabeça e Luan completou para o gol.

O lance foi analisado pelo árbitro de vídeo para ver se o camisa 9 tinha tocado na bola e, em caso positivo, se Luan estaria em impedimento. Depois de mais quatro minutos de avaliações, chegou-se à conclusão de que Ricardo Oliveira encostou na bola, mas o pé do lateral Chiquinho dava condição legal a Luan. Assim, o gol atleticano foi validado pela arbitragem.

Após três gols invalidados pelo VAR, enfim o placar foi aberto no confronto das semifinais entre Atlético e Boa. Assim, o time de Varginha teve que se mandar pra frente e abriu espaço para o Galo.

E o segundo gol atleticano saiu em contra-ataque de manual. Cazares achou Elias em velocidade, o volante tocou para Ricardo Oliveira, que devolveu de primeira para o camisa 7 marcar aos 40 minutos.

Abalado, o Boa não oferecia resistência e o terceiro gol alvinegro saiu nos acréscimos da etapa inicial. Cazares levantou a bola na área e o zagueiro Victor subiu com Igor Rabello para tentar cortar e acabou desviando contra as próprias redes. Galo 3 a 0.

Logo no segundo minuto da etapa final, o Atlético chegou ao quarto gol aproveitando-se de um vacilo enorme do zagueiro Fernando Fonseca. Após bola recuada, o jogador correu para trás para fazer o domínio, mas tropeçou e caiu. Estreando como titular, Geuvânio avançou livre de marcação e tocou na saída do goleiro colocando o Galo definitivamente na final do Mineiro.

Mas ainda tinha espaço para mais. Após troca de passes no ataque atleticano, a bola chegou até Elias, que entregou para Vinicius dentro da área. O atacante girou e bateu no canto do goleiro. O auxiliar marcou impedimento do camisa 92, mas o VAR foi consultado e validou o quinto gol do Atlético.

No fim da partida, o Atlético teve mais chances para ampliar a goleada, mas Chará e Ricardo Oliveira desperdiçaram. O colombiano ainda chegou a acertar o travessão, mas a partida terminou mesmo em 5 a 0.

Atlético 5 x 0 Boa Esporte

Atlético: Victor; Guga, Réver (Léo Silva), Igor Rabello e Fábio Santos; Adilson e Elias; Luan (Chará), Cazares (Vinicius) e Geuvânio; Ricardo Oliveira. Técnico: Levir Culpi

Boa Esporte: Renan Rocha; Chiquinho Alagoano, Fernando Fonseca, Ferreira (Victor) e Tsunami; César Sampaio, Claudeci e Kaio Cristian; Gabriel Vieira (Denis), Gindré (Jayme) e Gustavo Henrique. Técnico: Cesinha

Motivo: jogo de volta da semifinal do Campeonato Mineiro
Data e horário: domingo, 7 de abril de 2019, às 16h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Luan (24’/1º), Elias (40’/1º), Victor (contra – 48’/1º), Geuvânio (2’/2º), Vinicius (29’/2º)

Cartão Amarelo: Réver (Atlético); César Sampaio (Boa Esporte)

Árbitro: Anderson Daronco (RS)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)
Quarto árbitro: Ronei Cândido Alves (MG)

Árbitro de vídeo: Wagner do Nascimento Magalhães (RJ)
Assistente do VAR: Ivan Carlos Bohn (PR)

Público: 44.981
Renda: R$ 436.456,00

Fonte: Itatiaia www.itatiaia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close