Esportes

Cruzeiro perde para o Boca, é prejudicado pela arbitragem e fica sem Dedé para o jogo de volta

Em uma partida entre dois dos maiores clubes do continente, o árbitro Eber Aquino, do Paraguai, é quem ficará na memória dos torcedores na derrota do Cruzeiro por 2 a 0 para o Boca Juniors na noite desta quarta-feira, em jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores. O confronto no Estádio La Bombonera, em Buenos Aires, na Argentina, teve gols de Zárate, aos 35 minutos do primeiro tempo, e de Pérez, aos 37 do segundo.

Além disso, os mandantes contaram com a ajuda do juiz, que aos 29 da etapa final expulsou o zagueiro Dedé em um lance em que o cruzeirense não teve qualquer culpa. Aos 25, o defensor celeste e o goleiro Andrada tiveram um choque de cabeça, no qual o arqueiro levou a pior e teve um sangramento na boca – mas sem qualquer intenção do defensor celeste de acertá-lo. Após assistir ao lance no VAR, Aquino levantou o cartão vermelho.

O jogo de volta será disputado no dia 4 de outubro, quinta-feira, às 21h45, no Mineirão. A Raposa precisará vencer por pelo menos três gols de diferença para se classificar. Uma vitória por 2 a 0 leva a decisão para os pênaltis. O próximo compromisso do time celeste é contra o Santos, neste domingo (23), às 19h, no Mineirão, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O jogo

O Cruzeiro conseguiu a primeira boa chance, no primeiro minuto, em cabeçada de Thiago Neves que acertou a trave do Boca, mas a tônica mudou no decorrer da partida. As oportunidades foram raras. Uma nova só veio em chute de fora da área de Benedetto, aos 34 minutos. Na primeira jogada bem trabalhada, os argentinos chegaram ao gol, no minuto seguinte. Zárate tabelou com Pérez, invadiu a área pela direita e tocou na saída de Fábio para abrir o placar.

A Raposa passou a pressionar no início do segundo tempo e quase empatou. Rafinha ficou de frente para o gol e finalizou, mas Barrios, de carrinho, tirou em cima da linha, aos 3 minutos. Os mandantes responderam aos 12, em chute de Zárate, de longe, que acertou a trave.

Aos 29, a situação do Cruzeiro ficou mais complicada com uma injusta expulsão de Dedé. Cinco minutos antes, o zagueiro se chocou de cabeça com o goleiro Andrada, em um lance casual, e o árbitro, após consultar o VAR – que confirmou a ausência de falta – , deu o cartão vermelho para o defensor celeste.

Pedro Vilela/Agif/Estadão Conteúdo

O Boca conseguiu marcar o segundo, aos 37, em chute de Pérez, de fora da área, que ganhou o ângulo direito de Fábio. O Cruzeiro ficou perto de diminuir aos 45, após Edilson mandar uma pancada em cobrança de falta, mas Andrada espalmou.

Boca Juniors 2×0 Cruzeiro

Boca Juniors: Andrada; Jara, Izquierdoz, Magallán e Olaza; Nández, Barrios, Pérez (Almendra), Pavón e Zárate (Villa); Benedetto (Tévez). Técnico: Guilhermo Schelotto.

Cruzeiro: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas Silva, Robinho, Thiago Neves (Rafael Sobis) e Rafinha (Manoel); Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes

Gols: Zárate (35’/1ºT) e Pérez (37’/2ºT)
Cartões amarelos: Olaza (Boca Juniors)
Cartão vermelho: Dedé (Cruzeiro)

Motivo: jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores
Data e horário: 19 de setembro de 2018, quarta-feira, às 21h45
Local: Estádio La Bombonera, em Buenos Aires (Argentina)

Árbitro: Eber Aquino (Paraguai)

 

Fonte: Itatiaia www.itatiaia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close