Esportes

Barcos encerra seca de gols e garante vitória do Cruzeiro sobre o Palmeiras na Copa do Brasil

O Cruzeiro copeiro entrou em ação mais uma vez no mata-mata, agora em cima do Palmeiras, vítima da Raposa no Allianz Parque, no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil. Com um gol do atacante Barcos, o time celeste bateu o Alviverde e saiu na frente em busca da vaga na final.

A partida teve enredo conhecido, já que o time de Mano Menezes foi cirúrgico em uma das investidas ofensivas, fez o gol e se fechou como um “enorme muro” na defesa, garantindo a vantagem para a partida de volta. O resultado foi importante não só pela vantagem garantida para o segundo jogo, mas para encerrar também um incômodo tabu: foi a primeira vitória azul no Allianz Parque.

Agora o Cruzeiro poderá empatar no Mineirão, no dia 26 de setembro, no Mineirão, quando ficará definido o finalista da competição.

O Jogo

A escolha de Mano Menezes por Barcos no time titular, mesmo a contragosto de muitos torcedores, foi efetiva no começo do jogo. Logo aos 4 minutos o argentino balançou as redes de Weverton, abrindo o placar no Allianz Parque: 1 a 0.

O que chamou a atenção e inflamou a torcida visitante presente ao estádio, foi a defesa milagrosa de Fábio minutos antes do gol cruzeirense. Arrojado, o goleiro celeste defende um chute cruzado de Borja, impedindo o que seria o gol palmeirense. E na sequência o Cruzeiro fez o gol.

Era o fim da “zica” do argentino, que não marcava há 11 jogos, e havia balançado as redes apenas uma vez desde sua chegada ao clube.

O Palmeiras dominou o primeiro tempo, mas não conseguiu derrubar a forte marcação defensiva do Cruzeiro. O Alviverde ficou mais tempo com a bola nos pés, quase 70% do tempo, e até assustou em lances, principalmente com Dudu, muito arisco e voluntarioso.

Foram pelo menos duas chances claras da equipe de Felipão, com Borja que chutou forte na rede pelo lado de fora, e com Dudu, que tentou colocar a bola no canto esquerdo de Fábio, em um arremate perigosíssimo, mas falhou na tentativa.

O Cruzeiro também teve uma oportunidade quase no fim do jogo, aos 41 minutos, quando Arrascaeta chutou e o goleiro Weverton defendeu com o peito a tentativa do uruguaio, que acabou deixando o gramado por reclamar de uma pancada no joelho.

Do banco de reservas, Felipão viu sua equipe tentar bastante, mas o Palmeiras saiu para o intervalo com a desvantagem no placar.

“Muto grande (a importância do gol). Falei que estava trabalhando muito para isso. Mas faltam 45 minutos para a gente sair daqui com a vitória”, comentou Barcos na saída para o intervalo.

O jogo no segundo tempo ficou mais nervoso, principalmente pelas reclamações dos jogadores do Palmeiras. Bruno Henrique e Dudu eram os mais exaltados, sempre reclamando com o árbitro Wagner Reway, que não conseguiu ter a partida em seu domínio e foi muito pressionado pelos atletas.

E o fim do jogo ainda reservava mais emoções. Egídio, em um chute contra o próprio patrimônio, quase fez contra. Fábio defendeu milagrosamente. Em uma pressão incrível do Palmeiras, Lucas Lima ainda acertou a bola no travessão. E  no último minuto dos acréscimos, o árbitro ainda anulou um gol alviverde, para a sorte do Cruzeiro, no último lance.

PALMEIRAS 0  X 1 CRUZEIRO

Motivo: Ida das semifinais da Copa do Brasil

Local: Allianz Parque, em SP

Arbitragem: Wagner Reway (MT)

Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha de Matos e Fabricio Vilarinho da Silva

Gol: Barcos, aos 4 min do primeiro tempo;

Cartão Amarelo: Thiago Santos, Dudu (PAL); Léo, Fábio (CRU)

Cartão Vermelho: Edilson (CRU)

Público:

Renda:

PALMEIRAS – Weverton, Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Bruno Henrique (Marcos Rocha), Thiago Santos (Lucas Lima) e Moisés; Dudu, Willian e Borja (Arthur). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

CRUZEIRO – Fábio, Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Lucas Silva, Henrique, Thiago Neves e Robinho (Bruno Silva); Arrascaeta (Rafinha) e Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes.

 

Fonte: Hoje em Dia www.hojeemdia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close