Esportes

Com força máxima, Cruzeiro só empata com Bahia em casa e amplia jejum no Brasileirão

Mesmo utilizando o que tinha de melhor à disposição – apenas o meia Arrascaeta, suspenso, e o lateral-direito Edilson, lesionado, não puderam entrar em campo –, o Cruzeiro não conseguiu sair de campo com os três e decepcionou a torcida que compareceu ao Mineirão, neste domingo. Com força máxima, a equipe celeste empatou por 1 a 1 com o Bahia, no fechamento do primeiro turno do Campeonato Brasileiro, e está há cinco jogos sem vencer na competição por pontos corridos.

O ex-zagueiro cruzeirense Douglas Grolli abriu o placar para os baianos aos 14 minutos do segundo tempo. Quatro minutos depois, Thiago Neves empatou para a Raposa dando números finais ao confronto no Gigante da Pampulha.

O primeiro tempo foi de poucas chances para as duas equipes. Encontrando dificuldades para furar a forte marcação do Bahia, o Cruzeiro não ameaçou a meta dos baianos. A melhor oportunidade foi em uma finalização de Thiago Neves que o goleiro Anderson defendeu. Já o Tricolor esteve mais perto de abrir o placar no fim da etapa inicial em um chute cruzado de Gilberto que passou raspando a trave de Fábio.

No entanto, o Cruzeiro teve um impedimento marcado de forma equivocada aos 31 minutos. David recebeu passe em velocidade e sairia cara a cara com o goleiro Anderson, mesmo pressionado pelo zagueiro. O auxiliar assinalou posição irregular do atacante celeste, mas ele estava na mesma linha do penúltimo jogador do Bahia.

No começo da etapa final, Barcos perdeu uma chance incrível para abrir o placar para o Cruzeiro. O atacante recebeu livre na área, mas chutou por cima mostrando que não está em boa fase.

Com o empate, o Cruzeiro ampliou para cinco jogos o jejum no Brasileirão e permaneceu em oitavo lugar, com 26 pontos. Já o Bahia, que não perde na competição nacional há nove partidas, ficou em 10º, com 22.

A equipe celeste volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h45, para enfrentar o Grêmio, em Porto Alegre, pela abertura do returno do Campeonato Brasileiro. No mesmo dia, mas às 19h30, o Bahia recebe o Internacional, em Salvador.

O jogo

Assim que a bola rolou, o Cruzeiro já conseguiu assustar o adversário. Com 16 minutos, Barcos saiu da grande área, dominou de costas para a marcação, girou e lançou na medida para Thiago Neves. O meia dominou na ponta direita, cortou o zagueiro e tentou a finalização rasteira, mas acabou travado por Léo, que se recuperou na jogada e mandou para longe.

O Bahia conseguiu responder pouco tempo depois, com 20 minutos. Zé Rafael costurou a marcação, carregou pelo meio e achou Élber pela esquerda. O volante chegou na linha de fundo e cruzou para trás, nos pés de Gilberto, que dominou e bateu com força, mas a bola explodiu em Egídio no meio do caminho. Os jogadores ficaram pedindo toque de mão, mas o árbitro mandou o lance seguir.

Mesmo fora de casa, aos poucos o Bahia foi se soltando um pouco mais, sentindo que poderia voltar de Minas Gerais com muito mais do que apenas um ponto na bagagem. Com 41 minutos, Gilberto recebeu quase na linha do meio-campo, mas com liberdade, e resolveu puxar o contra-ataque. O atacante carregou, cortou para o meio e arriscou uma finalização firme de fora da área, mas acabou jogando para fora.

Para o segundo tempo, o jogo voltou muito mais aberto. Logo com dois minutos o Cruzeiro já poderia ter inaugurado o placar, quando Barcos acionou Robinho pela direita e o meia cruzou na segunda trave, onde estava Thiago Neves. Ele tentou ajeitar de cabeça para o meio, mas acabou pegando muito forte. Na sobra, Lucas Silva arrematou de primeira, mas mandou pela linha de fundo.

Em resposta, aos oito minutos, foi a vez de Zé Rafael fazer a fila, carregar pelo meio e ficar frente a frente com Fábio, mas a marcação travou. No rebote Gilberto tentou, mas pegou mal na boca. Depois, com nove, Lucas Romero cobrou um lateral com Robinho, que já deixou com Thiago Neves. O camisa 30 pensou rápido e já acionou Barcos, que chegou limpo no lance, mas acabou batendo por cima da meta.

Até que finalmente o Bahia conseguiu mandar a bola para o fundo das redes. Com 14 minutos, Vinícius cobrou um lateral curto, tabelou com Bruno e recebeu no bico da grande área. Ele cruzou com força na segunda trave e Douglas Grolli subiu sozinho para testar com força de cima par baixo. Fábio saltou, mas não chegou na bola.

Não deu muito tempo para comemorar, porque o Cruzeiro já empatou com 18 minutos. Em uma falha da marcação, Egídio recebeu pela esquerda e cruzou na cabeça de Thiago Neves, que só desviou de leve.

Tudo igual no placar, o Cruzeiro passou a controlar a posse de bola, mas sem conseguir criar outras grandes oportunidades de mudar a história da partida. No finalzinho, já com 47 minutos, Dedé partiu para o tudo ou nada e se arriscou no campo de ataque. Patrick Brey recebeu pela esquerda e cruzou para o meio. O zagueiro se esticou de cabeça para tentar completar, mas acabou jogando pela linha de fundo.

Cruzeiro 1 x 1 Bahia

Cruzeiro: Fábio; Lucas Romero, Dedé, Léo e Egídio; Henrique, Lucas, Silva (Patrick Brey), Robinho (Mancuello), Thiago Neves e David (Rafinha); Barcos. Técnico: Mano Menezes

Bahia: Anderson; Bruno, Douglas Grolli, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Vinícius (Régis), Zé Rafael e Élber (Marco Antônio); Gilberto (Edigar Junio). Técnico: Enderson Moreira

Motivo: 20ª rodada do Campeonato Brasileiro
Data e horário: 19 de agosto de 2018, domingo, às 16h
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Gols: Douglas Grolli (14’/2º), Thiago Neves (18’/2º)

Cartão Amarelo: Gregore, Elton (Bahia); Robinho, Henrique (Cruzeiro)

Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (CBF-RJ)
Auxiliares: Luiz Claudio Regazone (CBF-RJ) e Carlos Henrique Cardoso de Souza (CBF-RJ)
Adicionais: Philip Georg Bennet (CBF-RJ) e Rodrigo Nunes de Sá (CBF-RS)

 

Fonte: Itatiaia www.itatiaia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close