Esportes

Fábio pega três pênaltis no Mineirão e classifica Cruzeiro para as semifinais da Copa do Brasil

Pela terceira vez seguida, o Cruzeiro está nas semifinais da Copa do Brasil. Mas foi no sufoco. Após perder para o Santos por 2 a 1, de virada, no tempo normal, a equipe celeste venceu nos pênaltis por 3 a 0 graças ao goleiro Fábio, que defendeu as três cobranças do time paulista.

Thiago Neves abriu o placar para a Raposa aos 12 minutos do primeiro tempo. Gabriel, aos 41 da etapa inicial, e Bruno Henrique, aos 38 do segundo tempo, viraram o jogo para o Peixe. O time celeste ainda acertou duas bolas na trave durante a partida, e as chances desperdiçadas nos 90 minutos quase custaram caro.

Como o Cruzeiro venceu o jogo de ida, na Vila Belmiro, por 1 a 0, o placar agregado foi 2 a 2. Mas como na Copa do Brasil deste ano o gol qualificado fora de casa não vale mais como critério de desempate, a decisão da vaga nas semifinais foi para os pênaltis.

E foi nas penalidades que Fábio brilhou. O goleiro defendeu as três primeiras cobranças do Santos, enquanto o Cruzeiro converteu as suas três e avançou de fase pela terceira vez seguida. Em 2016, o time celeste foi eliminado pelo Grêmio. No ano seguinte, enfrentou os gaúchos novamente, mas deu o troco. Além da vaga, a Raposa faturou R$ 6,5 milhões por ter se classificado.

Nas semifinais, o Cruzeiro vai pegar o vencedor do confronto entre Palmeiras e Bahia, que se enfrentam nesta quinta-feira, às 19h15, no Allianz Parque. As equipes empataram sem gol no duelo de ida, em Salvador.

Agora, o Cruzeiro volta o foco para o Campeonato Brasileiro tentando se reaproximar do G6. No domingo, às 16h, a equipe celeste enfrenta o Bahia, no Mineirão, pela 19ª rodada. Na zona de rebaixamento da competição nacional, o Santos encara o Sport no sábado, às 16h, na Vila Belmiro.

O jogo

O Santos começou a partida já sofrendo uma baixa. O zagueiro Luiz Felipe sentiu lesão muscular na coxa esquerda e teve que ser substituído por Gustavo Henrique.

Nada a ver com o problema do adversário, o Cruzeiro mostrava mais força no ataque e abriu o placar aos 12 minutos. Thiago Neves recebeu a bola pelo lado direito, cortou para dentro sem ser incomodado pela marcação santista e bateu rasteiro no canto de Vanderlei. A vantagem celeste era ampliada no Mineirão.

A equipe santista tentou responder logo na sequência e quase empatou em uma cabeçada do zagueiro Gustavo Henrique que encobriu Fábio e passou raspando a trave.

O Peixe tinha mais posse de bola, porém a Raposa era mais efetiva quando tinha a redonda e quase marcou o segundo gol. Após boa jogada pela direita, Edilson cruzou para o meio da área e Arrascaeta desviou de carrinho, mas a bola explodiu na trave.

Mesmo sem incomodar muito o gol defendido por Fábio, o Santos conseguiu chegar ao empate aos 41 minutos. Gabriel arriscou de fora da área e acertou o canto esquerdo. Tudo igual no Mineirão.

No início da etapa final, por pouco o Cruzeiro desempatou em três oportunidades quase seguidas. Aos nove minutos, após escanteio, Dedé subiu mais que a defesa santista e cabeceou no travessão. Aos 11, Edilson recebeu de Barcos, invadiu a área e bateu por cima do goleiro, mas Lucas Veríssimo chegou na ‘hora H’ e salvou o segundo da Raposa. Três minutos depois, Robinho recebeu na área, mas chutou para fora.

Depois de desperdiçar tantas chances, o Cruzeiro parou de atacar e recuou de forma perigosa chamando o Santos para o seu campo.

O Peixe passou a dominar as ações e virou o jogo aos 38 minutos. Rodrygo cruzou na medida para Bruno Henrique, que desviou de cabeça acertando o ângulo de Fábio. Com o resultado, a decisão da vaga para as semifinais estava indo para os pênaltis.

O árbitro deu quatro minutos de acréscimo. Quando o jogo estava em quase 50 minutos, a defesa do Santos deu um bico para frente e achou Gabriel, que sairia cara a cara com Fábio. Mas Rodolpho Toski Marques apitou o fim da partida, o que revoltou os jogadores do time alvinegro. Na confusão, o goleiro reserva Vladimir foi expulso.

Cruzeiro 1 (3) x (0) 2 Santos

Cruzeiro: Fábio; Edilson, Dedé, Léo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Robinho (Rafinha), Thiago Neves e Arrascaeta (David); Barcos (Raniel). Técnico: Mano Menezes

Santos: Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe (Gustavo Henrique) e Dodô; Renato (Daniel Guedes) e Diego Pituca; Rodrygo, Bruno Henrique e Arthur Gomes (Jean Mota); Gabriel. Técnico: Cuca

Motivo: jogo de volta das quartas de final da Copa do Brasil
Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data e horário: 15 de agosto de 2018 (quarta-feira), às 19h30

Gols: Thiago Neves (12’/1º), Gabriel (41’/1º), Bruno Henrique (38’/2º)

Cartão Amarelo: Gustavo Henrique, Vladimir, Bruno Henrique, Gabriel, Dodô (Santos); Edilson (Cruzeiro)
Cartão Vermelho: Vladimir (Santos)

Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR/FIFA)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR/FIFA) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA/FIFA)
VAR: Wilton Pereira Sampaio (GO/FIFA)

Público: 49.513 presentes / 43.464 pagantes
Renda: R$ 1.432.225,00

 

Fonte: Itatiaia www.itatiaia.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close