Esportes

Messi perde pênalti, para na defesa da Islândia e Argentina apenas empata

Atacante teve atuação apagada, desperdiçou cobrança de pênalti e deixou sua torcida frustrada

Quando os nórdicos passaram a invadir determinados países da Europa, o pesadelo imediato se instaurou. A força viking era notável, assim como a determinação implacável de seu povo. A Islândia, em sua primeira partida em Copas do Mundo, honrou seu passado. Encarou e desapontou com valentia a Argentina, empatando o duelo com os sul-americanos por 1 a 1, em duelo realizado neste sábado, no estádio do Spartak, válido pela abertura do grupo D, do Mundial.

A Argentina saiu à frente com Agüero, que encerrou um jejum de oito partidas sem gols em Copas do Mundo. Mas a Islândia correu atrás do empate e o fez com Finnbogasson, ainda na etapa inicial. No segundo tempo, Messi ainda teve a chance de desempatar o jogo, mas parou no goleiro Halldorsson, melhor jogador da partida. Um resultado primoroso e que, claro, só poderia terminar em Skol, a tradicional celebração da Islândia.

O jogo 

Seria um jogo complicado. A julgar por tudo que a Islândia vem fazendo nos útimos anos no futebol, louco seria quem achasse o contrário. Algumas potências europeias já haviam se deparado com a intensidade da surpresa nórdica. E muitas sucumbiram. Mais era chegada a hora de subir o nível, galgar mais um degrau nesta história de excelência que choca o mundo do futebol.

Em sua primeira partida em uma Copa do Mundo, a Islândia desafiou o poder da escola argentina. Uma frota conhecida pela técnica absoluta e um bicampeonato mundial.

Os 25 anos de fila dos hermanos são enganosos. Eles sempre estão ali, na espreita das conquistas. Mas a Islândia não se abateu, nem mesmo tendo Messi frente a frente.

O time do capitão Aron Gunnarsson, e dos bons meias Birkir Bjarnasson e Sigurdsson, o camisa 10 da equipe, começou o jogo atrás no placar. Foi a Argentina que tocou a festa na torcida, com um gol de Agüero, aos 19 min, em belíssimo chute.

Mas a Islândia não se abateu, dando luz aos heroicos feitos da Euro 2016. Aos 23 da primeira etapa, Finnbogasson aproveitou um bate-rebate na área para deixar tudo igual  no marcador. Os argentinos acompanhavam incrédulos.

Maradona estava nas tribunas, a expressão máxima do futebol argentino. Mas as bençãos do “Pibe de Oro” não chegaram nem mesmo a Messi. Depois de alguns lances questionáveis de penalidade, a arbitragem assinalou uma a favor dos hermanos. E coube a Messi a chance de colocar a Argentina à frente.

Não era essa a intenção do goleiro Halldorsson. O camisa 1 da Islândia cresceu para cima de um dos maiores jogadores do mundo. Um salto e uma defesa que ficarão na história. A pequenina Islândia, de 340 mil habitantes, parou a Argentina de 40 milhões de vozes.

Fonte: O Tempo

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close