Esportes

Cruzeiro bate o Ceará e assume a vice-liderança do Campeonato Brasileiro

Para manter a posição na tabela ao fim da rodada, o Cruzeiro torce para um tropeço do Fluminense, que joga na segunda-feira, fora de casa, contra o Paraná

No dia em que o Cruzeiro celebrou 25 anos da primeira conquista de Copa do Brasil, a Raposa honrou o DNA que carrega nas veias. A tarimba de um time que está sempre ali: no bolo dos favoritos às conquistas nacionais e também internacionais. No Castelão, em Fortaleza, o time venceu o Ceará na noite deste domingo por 1 a 0, gol de Sassá, e assumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro.

Essa foi a terceira vitória seguida do time no torneio nacional, que atingiu os 16 pontos conquistados. Um time letal, com seis gols marcados, suficientes para elevar o time às cabeças, e apenas três gols sofridos.

Para manter a posição na tabela ao fim da rodada, o Cruzeiro torce para um tropeço do Fluminense, que joga hoje, fora de casa, contra o Paraná.

O jogo. Sem Robinho, Mano mandou a campo uma teórica formação titular com três volantes: Lucas Romero, Lucas Silva e Bruno Silva. O esquema, no papel, poderia priorizar mais a marcação, mas Bruno Silva teve muita liberdade atuando pela direita.

E foi justamente por ali que saiu o gol do Cruzeiro. Quando o cronômetro marcava 17 min na etapa inicial, Rafael Sóbis fez um belo lançamento para Bruno Silva. O meia penetrou na grande área e cruzou de bate pronto para a finalização de Sassá. O arremate pode até não ter saído da maneira que o atacante queria, mas o importante é que a bola foi parar no fundo das redes do goleiro Éverson.

O Cruzeiro ainda tentou acuar o time da casa, criou algumas oportunidades, mas nada tão efetivo a ponto de ampliar o marcador. Um pecado, tendo em vista a situação complicada do Ceará, vaiado pela torcida e que ainda não venceu no Brasileirão 2018. O carma do Vovô é tamanho que até velhos conhecidos da torcida mineira foram a campo na tentativa de ajudar o Ceará na inglória peleja, casos de Éder Luís, aquele mesmo que jogou no Atlético, e do colombiano Javier Reina, que já foi uma aposta do Cruzeiro.

Mas se o primeiro tempo foi positivo, a segunda etapa deu calafrios no torcedor. Sem Bruno Silva, que acabou dando lugar para Mancuello no intervalo, o Cruzeiro puxou o freio de mão e deu condições para que o Ceará pudesse acreditar no empate. Aos 31 min, na melhor jogada do Ceará, Romário pegou o rebote na entrada da área e mandou um chute venenoso no canto esquerdo de Fábio. O camisa 1 se esticou todo para espalmar e mandar para escanteio. Uma intervenção providencial e que assegurou um complicado triunfo fora de casa.

 

Fonte: O Tempo www.otempo.com.br

 

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close