Esportes

Tite convoca Seleção para a Copa nesta segunda; veja cenário e quem já foi chamado

Nesta segunda, às 14h, o técnico da Seleção anunciará a lista dos 23 convocados para o Mundial. Outros 12 jogadores podem ser suplentes

É chegada a hora da verdade! Nesta segunda-feira, às 14h, praticamente um ano e 11 meses após ser confirmado no comando da Seleção Brasileira, Tite anunciará os 23 jogadores que terão a missão de buscar o hexa na Rússia. E, se dificilmente haverá consenso sobre os escolhidos (no país em que quase todo mundo tem um pouquinho de técnico), o fato é que o caminho para chegar a esta lista foi marcado por muitos testes, alguns achados, resgate de atletas e (por que não?) certas ‘invenções’.
Nas 10 convocações que fez até aqui, Tite deu chance a 64 jogadores. Tiveram oportunidade nove goleiros, 13 laterais, 10 zagueiros, nove volantes, 11 armadores e 12 atacantes. Mas, é preciso ressaltar que 13 deles participaram apenas do “Jogo da Amizade” (amistoso com a Colômbia, em janeiro de 2017, em prol das vítimas da tragédia aérea com a Chapecoense).
De certa forma, Tite teve que ‘reinventar’ a Seleção. Quando assumiu, o país tinha só nove pontos em seis rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa’2018. Na sua primeira convocação, em agosto de 2016, dois dias após o Brasil faturar o ouro olímpico (vitória nos pênaltis sobre a Alemanha), bancou sete campeões: Weverton, Renato Augusto, Neymar, Marquinhos, Rodrigo Caio, Gabriel Jesus e Gabigol.
Tite ainda apostou alto nos questionados Alisson e Casemiro e promoveu o retorno do volante Paulinho, ‘esquecido’ no futebol chinês. Mas foi muito criticado por optar por jogadores como Rafael Carioca, Giuliano e Taison. Vitórias sobre Equador (3 a 0) e Colômbia (2 a 1) amenizaram o clima.
Outro jogador importante foi ‘resgatado’ por Tite logo em sua segunda convocação: o zagueiro Thiago Silva, um dos mais marcados pelo vexame na Copa’2014. A partir daí, estaria presente em todas as listas do comandante. Por outro lado, chamou o goleiro Muralha, que, tempos (e muitas falhas) depois, seria praticamente execrado pela torcida do Flamengo. Vitórias sobre Bolívia (5 a 0) e Venezuela (2 a 0) deram tranquilidade ao trabalho.
A partir daí, Tite começava a esboçar uma base e se deu bem ao mantê-la em sua terceira lista: a equipe fez 3 a 0 na Argentina, no Mineirão, e 2 a 0 no Peru. O comandante fechava 2016 invicto.
Se a quarta convocação, em janeiro de 2017, para o “Jogo da Amizade”, só com jogadores que atuavam no país, pouco acrescentou para a definição do grupo, na quinta lista, em março, Tite pinçou mais um intocável no seu grupo: o goleiro Éderson, então ainda no Benfica. E em campo os resultados não podiam ser melhores: 4 a 1 sobre o Uruguai e 3 a 0 sobre o Paraguai fizeram com que a Seleção Brasileira fosse a primeira a se classificar ao Mundial.
Com a vaga garantida, Tite se deu ao luxo de poupar jogadores mais desgastados, como Neymar, e fazer novos testes. Em sua sexta lista, para amistosos contra Argentina (0x1) e Austrália (4×0) pintaram Diego Alves, Rafinha, Jemerson, Alex Sandro… Houve até espaço pra volta de David Luiz, outro que ficou marcado pelo fiasco em 2014 e, principalmente, pelo vexame dos 7 a 1. Mas o zagueiro jamais voltaria a ser chamado.
A impressão era de que o grupo para o Mundial já estava praticamente fechado, mas Tite mostrou que não era bem assim. Tanto que em sua sétima convocação abriu espaço para Cássio e Luan, que ainda vivem expectativa de ver seus nomes na lista final do comandante. O mesmo acontece com Fred, Arthur e Danilo, chamados pela primeira vez apenas na oitava convocação, em setembro do ano passado, quando o país fechou sua participação nas Eliminatórias como líder disparado (41 pontos, 10 à frente do Uruguai). Com Tite, foram 10 vitórias e dois empates.
Se para os amistosos contra Japão (3 a 1) e Inglaterra (0 a 0) em outubro de 2017, Tite não apresentou novidades, neste ano, nos últimos compromissos antes da divulgação da lista final, sem o lesionado Neymar, se deu ao direito de promover os últimos testes diante de Rússia e Alemanha. E com que surpresas! Neto, Willian José, Talisca e Ismaily (convocado após as lesões de Filipe Luís e Alex Sandro). Alguém conseguirá acertar os 23 nomes de Tite? Façam suas apostas…

Os intocáveis

Alisson, Éderson, Daniel Alves*, Marquinhos, Miranda, Thiago Silva, Marcelo, Filipe Luís, Paulinho, Casemiro, Fernandinho, Renato Augusto, Philippe Coutinho, Willian, Neymar, Gabriel Jesus, Roberto Firmino.

* Teve convocação descartada na sexta-feira por causa de lesão no joelho direito

As invenções

Giuliano, Taison, Muralha, Diego Souza.

Em boa hora

Fred, presente em só duas convocações, pode ir ao Mundial.

Vai sobrar?

Fágner, em oito das 10 convocações, se machucou e pode acabar fora da Copa.

Esqueceram de mim

Gabigol, só esteve presente na primeira convocação.

Persistente

Geromel foi o que ficou mais tempo ausente das convocações, de janeiro de 2017 a março de 2018.

Fonte: www.mg.superesportes.com.br

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close